0 Imóveis Favoritos

Busca

Não encontramos resultados para esta busca!
Ajuste os filtros acima e tente novamente.

A agonia de um rio

De todas as lembranças de uma pessoa, as da infância são, com certeza, as mais marcantes. É nesta fase que apreendemos os valores e os conceitos que vamos levar ao longo da vida. Dessa época trago comigo várias recordações, mas uma em especial me vem à memória com muitas saudades: meus banhos no Rio Bacalhau, na Cidade de Goiás.

Era um curso d’água bastante democrático. Nele se banhavam desde os garotos mais abastados da cidade como os meninos dos bairros mais carentes. Das margens nos lançávamos em suas águas tentando demonstrar acrobacias e aptidões para nadar e mergulhar. As famílias realizavam piqueniques e os jovens flertavam discretamente. Era um dos points mais concorridos da antiga Vila Boa.

Hoje, no entanto, o Rio Bacalhau de tantas lembranças agoniza lenta e lamentavelmente. Além da ação humana, a própria natureza decidiu açoitar o rio com a pouca chuva. Ele está morrendo.

A captação de suas águas para o abastecimento da Cidade de Goiás aliada a fenômenos naturais e a outras ações humanas como a prática da agricultura e da pecuária comprometeram ainda mais a existência do rio. É preciso agir, e rápido, para que ele não morra de vez.

Neste sentido, um grupo de moradores, pesquisadores, empresários e defensores do meio ambiente criou no último dia 10 de novembro, a Associação SOS Bacalhau. A intenção é a conservação do rio que está cada vez com o nível de água mais baixo. O objetivo é fortalecer o debate sobre o uso adequado da água e propor alterações no sistema de captação para o fornecimento de água para os cerca de 26 mil habitantes de Goiás.

A primeira missão da SOS Bacalhau é propor uma ação popular em prol da defesa do rio. Outra meta de curto prazo é apresentar para as autoridades competentes um estudo que prevê uma fonte alternativa para o abastecimento da cidade de Goiás. 

Segundo levantamentos já realizados, a solução mais viável é fazer a captação das águas do Rio Uru, por meio da construção de uma adutora, com extensão máxima seis quilômetros, para a preservação Rio Bacalhau. Uma solução simples, com resultados altamente positivos para o Bacalhau. Esta medida é urgente, mas após ela, outras devem ser adotadas para que possamos evitar a morte do Bacalhau de tantas boas lembranças.


Leonardo Rizzo é  empresário e presidente do Instituto Rizzo e da Rizzo Imobiliária.


Rio Bacalhau na cidade de Goiás.

Adicione nosso Whatsapp para atendimento

(62) 9653-3071

2ª VIA DE BOLETO

Preencha o formulário abaixo e em breve lhe enviaremos por e-mail um novo boleto. Caso haja dúvidas, favor entrar em contato com nossa Central de Atendimento.

Denúncia Anônima

LIGAMOS PARA VOCÊ

A Rizzo liga pra você! Preencha corretamente seu número de telefone e entraremos em contato imediatamente.